- O mecanismo mais comum de entorse de tornozelo é o trauma em inversão do pé, onde pode ocorrer a distensão ou rotura de um ou mais ligamentos do tornozelo

- É comum observarmos inchaço do tornozelo, podendo ocorrer somente na face lateral nos entorses leves ou difusamente nos entorses graves.

- Poderá ocorrer aparecimento de hematomas após 24 a 48h do entorse, nas faces lateral e medial do tornozelo e pé, decorrente da rotura de vasos sanguíneos na ocasião do trauma.

 

- O tratamento dos entorses de tornozelo são direcionados de acordo com a lesão apresentada. Entretanto, na fase aguda, é interessante realizar o protocolo abaixo:

Proteção – Deve-se diminuir ou retirar a carga do membro acometido através do uso de muletas, bengala ou aparelho andador.

Repouso - movimentando-se somente para realizar as necessidades diárias

Elevação – Elevar o membro acometido, colocando-o sobre um apoio quando sentado e sobre um ou dois travesseiros quando deitado.

Gelo – Compressas de gelo devem ser realizadas por 20 minutos, no mínimo, quatro vezes por dia por três dias.

Órtese - usar órteses imobilizadoras ou imobilizações gessadas, conforme orientação médica. A órtese deve ser usada 24 horas por dia, retirando somente para a realização de gelo e para o banho.

 

- É intressante a realização de fisioterapia para adequada reabilitação da lesão.

 

- A solicitação de exames complementares, como a ressonância magnética, é facultativa ao médico que realizará o acompanhamento do paciente.

 

- Utilizar medicamentos prescritos, como analgésicos e antiinflamatórios, conforme orientação médica para diminuição da dor.

 

- Se apresentar sinais como: vermelhidão e inchaços excessivos, dor não responsiva a medicações ou perda de sensibilidade do membro, favor retornar ao Pronto Atendimento para nova avaliação

- Após a consulta no Pronto Atendimento, deve-se agendar um retorno com seu médico particular para levar os exames solicitados e realizar o acompanhamento ambulatorial.